Como evitar que a micropigmentação fique azulada

tebori
Share on facebook
Share on email
Share on whatsapp

A micropigmentação é uma técnica cuja procura vem aumentando muito, em função de seus excelentes resultados estéticos e excelente durabilidade. No entanto, assim como qualquer outro procedimento estético, requer técnicas e materiais adequados, além de possuir um prazo de validade.

E um dos principais problemas que podem ocorrer em uma micropigmentação é a modificação da tonalidade. É bastante comum vermos por aí resultados com uma nuance azulada.

Este é um péssimo resultado, visto que prejudica a naturalidade da área e afeta negativamente a estética da cliente. Por isso, é muito importante saber o que causa este problema e como preveni-lo.

Continue lendo este artigo e descubra como evitar que a micropigmentação fique azulada!

Por que o pigmento pode ficar azulado?

Há uma diversidade de razões que podem levar à alteração do tom utilizado na micropigmentação. O primeiro deles é a ação do tempo. Assim como em tatuagens e até mesmo em pinturas tradicionais, os pigmentos estão sujeitos à deterioração.

E depositados na pele, o corpo pode entendê-los como corpos estranhos e lutar contra sua presença, levando a uma degradação acelerada que pode fazer com que a cor se modifique. No entanto, se este efeito ocorrer em pouco tempo, questão de poucas semanas após o procedimento, há na verdade um problema técnico por trás do fenômeno.

Nestes casos, o efeito pode ser resultado de fatores como escolha de produtos de baixa qualidade ou pigmentação em camadas excessivamente profundas da pele. Assim, optar por pigmentos confiáveis e de alto padrão, bem como investir em treinamento para aprender a correta execução do processo são fatores indispensáveis para uma micropigmentação bonita e durável.

Como evitar que a micropigmentação fique azulada

Você já sabe que o tom azul pode ser resultado do uso de um pigmento de baixa qualidade ou de uma aplicação pobre em técnica. Mas a outros fatores que podem ser determinantes para que este problema ocorra.

Utilize um mix de cores

Para evitar o surgimento de tons indesejados, não se deve utilizar apenas um pigmento. Por mais que ele pareça adequado à cliente, a utilização de um único tom aumenta as chances de alteração da cor e favorece que isso aconteça mais rápido.

Conheça os tons da sua cliente

O primeiro passo para resultados perfeitos na micropigmentação é conhecer as diferentes temperaturas de cores e o círculo cromático. As temperaturas irão indicar qual o tom mais adequado para a pele de cada cliente.

Nuances frias, como as brancas rosadas, requerem pigmentação de fundo frio; enquanto que nuances quentes, como as peles amareladas, pardas ou negras (na maior parte dos casos) requerem subtons igualmente quentes para conferir harmonia. A atenção a este detalhe também ajuda a prevenir o surgimento de colorações indesejadas.

Utilize a neutralização de cores

Aqui entra o círculo cromático. Ele ilustra as cores em oposição às suas cores complementares. E estes pares complementares se neutralizam.

Por isso, ao elaborar o mix para a micropigmentação de cada cliente, deve-se compreender como a mistura das cores vai afetar o resultado final. Dependendo das nuances selecionadas, o resultado pode ser frio ou quente, bem como oferecer cores finais diferentes do planejado.

Desta forma, o conhecimento das interações entre diversas cores auxilia na prevenção do surgimento de tons azulados. Além disso, possibilita sua neutralização uma vez que tenham aparecido.

Está pronta para dar o primeiro passo rumo à micropigmentações impecáveis? Comece utilizando produtos top de linha: veja nossas opções!

Receba mais notícias

Deixe seu email abaixo para ser incluído em nossa lista de comunicação.