Confira os registros necessários para seu estúdio funcionar

estudio make 2
Share on facebook
Share on email
Share on whatsapp

Abrir o próprio estúdio de micropigmentação é, com toda a certeza, o sonho da maioria dos profissionais da área.

Mas antes de mais nada, é preciso ficar de olho em alguns pontos importantes, que podem garantir o sucesso do seu negócio: os registros.

Além de serem fundamentais para a segurança do próprio profissional e de quem frequenta o local, possuir todos os registros em dia pode passar uma imagem de confiabilidade para os clientes, demonstrando que existe uma preocupação com a qualidade do serviço prestado.

Se abrir um estúdio é uma das suas metas, fique com a gente e confira tudo o que é necessário para colocar esse planejamento em prática.

Vamos lá?

FAÇA O CHECKLIST

Mantenha o rigor quando o assunto é o seu estúdio de micropigmentação. Busque se adequar à lei para não ter nenhum problema futuramente. Para que tudo esteja nos conformes, você vai precisar de:

1. Abertura de CNPJ

Essa não é uma obrigatoriedade que leva em consideração o segmento, mas possuir um CNPJ pode fazer toda a diferença no seu negócio. Com o CNPJ, você trabalha de forma legal, tanto do ponto de vista fiscal, como jurídico.

Isso sem contar os benefícios com fornecedores e com bancos.

Ah, lembre-se também que, ao abrir um CNPJ para o seu estúdio, o mesmo deve ser classificado como “atividade de micropigmentador 9609-2/06” ou seja, serviço de tatuagem e colocação de piercing.

2. Alvará da prefeitura

O documento é concedido pela prefeitura do município ou pelo órgão do município onde o estúdio se encontra. Com o alvará, seu estúdio terá uma espécie de “permissão legal” para funcionar naquele local.

Aliás, uma boa dica é consultar se já existe alguma restrição do ponto na prefeitura da sua cidade.

3. Vistoria do Corpo de Bombeiros

Nesse caso, é preciso verificar como o documento em questão pode ser solicitado e quais as normas vigentes na sua região.

Também verifique se, em caso de abertura do estúdio em sala comercial, o prédio já possui essa documentação assim, não há a necessidade de fazer um segundo pedido.

O documento assegura que o local está em conformidade com as regras de segurança, principalmente com relação a possíveis incêndios. Então não abra mão dessa vistoria.

4. Alvará sanitário

Após regularizar o espaço físico na prefeitura, é necessário solicitar o alvará sanitário, documento emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Esse documento, aliás, deve ser renovado todos os anos.

Conseguir esse documento pode ser um pouco trabalhoso, mas garante a segurança de todos que frequentam o local.

Geralmente, são avaliados pontos como:

– Piso de cor clara;

– Pintura das paredes com tintas que sejam laváveis;

– Pia com disponibilidade de papel toalha e sabão;

– Lixos devidamente identificados como “contamináveis” e “não contamináveis”;

– Lixeiras de metal com tampas que sejam fecháveis;

– Caixa específica para o descarte de agulhas, máscaras e luvas.

É REALMENTE IMPORTANTE POSSUIR TODOS ESSES REGISTROS?

Sim. Com os registros e documentações em ordem, seu estúdio fica protegido não somente de forma física, mas também diante da lei. Em casos de acidentes, por exemplo, a falta de documentação pode ser um agravante contra o seu negócio.

Além disso, a regularização do estúdio pode ser uma vantagem a seu favor em casos de processos ou demandas judiciais.

Por isso, garanta que tudo esteja em ordem para que você possa trabalhar com a tranquilidade que merece!

Receba mais notícias

Deixe seu email abaixo para ser incluído em nossa lista de comunicação.