Conheça a origem e saiba como a tatuagem evoluiu ao longo dos anos

tatuagem mumia
Share on facebook
Share on email
Share on whatsapp

A tatuagem é uma arte popular e comumente associada aos jovens e à modernidade. Embora o preconceito com essa atividade ainda exista, cada vez mais pessoas aderem às tatuagens. Mas a verdade é que o hábito de marcar a pele com desenhos e palavras é milenar. Conheça hoje um pouco da origem e da evolução da tatuagem ao longo dos anos.

A história da tatuagem

Um dos registros de tatuagem mais antigos que temos é de uma múmia de gelo europeia, o homem de Ötzi. Encontrado nos anos 1990 nos Alpes, cientistas descobriram que ele viveu há cerca de 5.300 anos e possuía 61 tatuagens. Acredita-se que as marcas sejam resultados de uma forma antiga de acupuntura.

Simultaneamente, existem registros de 2000 a.C de múmias de mulheres egípcias com traços no abdômen. No caso delas, as pesquisas revelaram que as inscrições eram parte de rituais de fertilidade.

Tribos indígenas nas Américas se marcavam em rituais de passagens e como conexão com a natureza. O mesmo acontecia nas ilhas da Oceania. Um destaque é a tribo Maori, conhecida por manter suas tradições até hoje, das danças de guerra até as tatuagens. Já no norte do Japão existe uma tribo indígena com uma cultura de tatuar a boca das mulheres.

Assim, o hábito de tatuar a pele é tão antiga e utilizada por tantas civilizações antigas que não há uma única origem. Pelo contrário, se trata de um costume constantemente presente nas sociedades. A única diferença é que as motivações e estilo mudaram e evoluíram até serem o que são hoje.

Além disso, essas amostras de tatuagens mundo à fora provam que, neste primeiro momento, as tatuagens eram bem vistas nas civilizações onde eram praticadas. No entanto, não eram todos os lugares que viam esse costume com bons olhos.

Na Roma antiga, por exemplo, tatuagens começaram como marcas para identificar escravos e criminosos. Posteriormente passaram a marcar também soldados, para evitar desertores. No entanto, os próprios soldados passaram a marcar suas conquistas na pele, influenciados por outros povos, como os celtas.

O próprio Japão passou por uma evolução própria da tatuagem, com um estilo caracterizado por pintarem o corpo todo. No entanto, por causa da associação com a máfia Yakuza, a prática chegou a ser proibida e mesmo hoje tem certa rejeição.

A origem da tatuagem moderna

No século 8, o Papa Adriano I usou uma passagem bíblica para proibir tatuagens entre os católicos. Por causa do poder da religião no ocidente, a prática desapareceu em boa parte da Europa. Essa situação só mudou um milênio depois.

Em meados de 1700, o navegador britânico James Cook, conhecido por ser um dos primeiros europeus a navegar pela Oceania, descobriu o costume de tatuar dos polinésios. Os desenhos eram feitos com tinta natural, cinzel e um martelo especial para este fim.

O próprio nome que ele deu para a prática, “tattoo”, é uma adaptação da palavra que os polinésios usavam. Seus marinheiros se interessaram pela prática e, conforme navegavam pelo mundo, espalhavam esta arte.

Um passo significativo na evolução da tatuagem foi com a invenção da máquina elétrica de tatuar, criada em 1891 pelo Samuel O’Reilly. Este aparelho, usado até hoje, ajudou na popularização da arte como forma de contracultura e expressão.

A tatuagem evoluiu muito ao longo dos séculos e milênios. Das razões, aos significados e até as ferramentas. A linha de pigmentos da Iron Works foi criada precisamente para ajudar garantir um resultado de alta performance para os tatuadores e seus clientes.

Receba mais notícias

Deixe seu email abaixo para ser incluído em nossa lista de comunicação.