Conheça as principais causas de queloides nas tatuagens

epi tattoo
Share on facebook
Share on email
Share on whatsapp

A cicatrização de uma tatuagem pode variar dependendo do corpo e dos cuidados que pessoa toma durante a sua recuperação. Alguns fatores genéticos fazem com que certos tipos de pele desenvolvam cicatrizes mais volumosas: as queloides.

Não podemos adivinhar quando elas aparecerão, mas é possível se prevenir para evitá-las. Conheça, a seguir, as principais causas dessa cicatriz e o que fazer diminuir as chances que aconteça com a sua tatuagem.

O que é e o que causa a queloide?

As queloides são cicatrizes volumosas e mais escuras, oriundas de um processo de cicatrização de algum trauma na pele, como as tatuagens, por exemplo. Ela acontece quando há excesso de colágeno na região e há uma cicatrização muito longa. Em alguns casos, a marca pode crescer e ultrapassar até mesmo as margens do desenho.

Além das tatuagens, muitos outros fatores podem causar cicatriz queloidiana. Pessoas negras ou orientais, inclusive, têm a pele mais suscetível a essa condição. Veja quais são outras causas comuns:

1) Cortes de cirurgias;

2) Acnes;

3) Feridas de queimadura;

4) Feridas de piercing e brincos;

5) Marcas de vacina.

Como prevenir o surgimento de queloides?

Apesar de ser uma condição do próprio corpo humano, a queloide pode ser, de certa forma, evitada. Para que isso aconteça, é importante que a pessoa avise ao tatuador sobre sua predisposição, a fim que o material usado seja o melhor possível. Afinal, reações alérgicas às tintas podem prejudicar a cicatrização, por exemplo. Embora não seja totalmente eficaz contra queloides, alguns cuidados são essenciais para facilitar a recuperação da pele. A recomendação mais conhecida é evitar a exposição da área a raios solares. A alimentação saudável também é fundamental para uma recuperação de lesão melhor. Alimentos gordurosos e frutos do mar devem ser evitados, pelo menos nos primeiros dias após a tatuagem. A hidratação, por fim, é outra maneira de prevenir queloides ou cicatrização complicada. Manter a pele limpa (sem esfregar ou irritar) e hidratar frequentemente, além de evitar ressecamento, evita infecções na região. Se a pessoa quiser, existem maneiras mais invasivas de prevenir queloides, como a radiação pré-procedimento operatório, mas no caso das tatuagens, essa alternativa não se enquadra. Caso a queloide, apesar de todas as tentativas, apareça, existem alguns tratamentos para diminuir o tamanho e a coloração forte. Na realidade, algumas delas até diminuem mesmo ao longo dos anos, mas podem acabar voltando. Por isso, é extremamente recomendado que, nesses casos, a pessoa procure um médico para se informar e realizar os procedimentos. O dermatologista é o profissional mais recomendado para tratar questões de pele. Ele saberá indicar as melhores pomadas e os remédios mais específicos para cada situação. Para quem precisar, há ainda as opções mais agressivas que os remédios e as pomadas. A radioterapia e o laser são bons exemplos, pois são capazes de reduzir bastante as queloides provocadas pela agulha da tatuagem ou por qualquer outra lesão. Em casos mais extremos, o paciente pode até passar por um procedimento cirúrgico, em que se resfria a cicatriz, para seu tratamento.

Receba mais notícias

Deixe seu email abaixo para ser incluído em nossa lista de comunicação.