Do Brasil ao Egito

tatuagem
Share on facebook
Share on email
Share on whatsapp

Você leu esse título e pensou na música do é o Tchan certo? Imagina agora eu te falar que isso tem a ver com tatuagem, dá para acreditar? Pois é! A história da tattoo começa lá no Egito e vem até o Brasil, e nós vamos te contar agora um pouco dessa trajetória.

O começo

Os primeiros registros de tatuagens são representados pelos egípcios a milhares de anos atrás, como representações de adoração e simbologia religiosa. Depois deles o povo Maori, uma tribo da região da Oceania, é que aparece na sequencia da nossa cronologia com tatuagens tribais (sim, vem dai o nome das tatuagens que até hoje tem o mesmo nome e estilo), mas as tatuagens dos Maori, eram feitas para representar hierarquia dentro da tribo e tinham a ideia de mostrar também um lado religioso, ligado aos espíritos dos guerreiros.

A tatuagem asiática

Depois da Oceania, a tatuagem invade a Ásia com forte presença na China, Japão e Tailândia. Todas em forma ritualística. Até hoje é muito comum ver os monges tailandeses totalmente tatuados, eles acreditam que as tatuagens são peças em um quebra cabeça espiritual que pode transcender o indivíduo, e o desenho junto com os caracteres da tatuagem somados formam um tipo de talismã que protege a pessoa.  Já no Japão, a tatuagem ganhou o estigma com a adoção dela pela máfia, e hoje existe um grande tabu com pessoas tatuadas, infelizmente.

Os Piratas

Muito antes de Piratas no caribe, estrelado pelo ator Jonny Deep, os piratas tem papel importante na história da tatuagem. Foram eles que viram as primeiras e espalharam o conceito da tattoo por outros continentes em cada porto que paravam.

Os Americanos

Depois dos piratas, a tatuagem ganhou um estigma marginal, que foi adotado por marinheiros desde então, com violência, drogas, álcool e amores de porto em porto. Com o andar da história e as guerras essa mensagem foi sendo passada para a nova classe de pessoas do mar e dos piratas virou parte da realidade dos marinheiros e das marinhas, principalmente da americana, que passava a criar então o estilo old school com pin ups, ancoras, corações, e outros temas náuticos.

A globalização

Com guerras, e uma nova vida pós guerra, muitos desses marinheiros acabaram largando a vida do mar mas não a paixão pela arte da tatuagem, e foi assim que a tattoo chegou no Brasil, através de um dinamarquês, que se apaixonou aqui e por aqui ficou, sendo até hoje reconhecido como o primeiro tatuador no brasil. Seu nome era Knud Harald Lykke Gregersen, mais conhecido como Lucky Tattoo.

Receba mais notícias

Deixe seu email abaixo para ser incluído em nossa lista de comunicação.