EPIs para profissionais de tatuagem: o que são e por que são tão importantes?

epi tattoo
Share on facebook
Share on email
Share on whatsapp

Você sabia que 38% da população mundial têm uma ou mais tatuagens pelo corpo? Embora pareça uma prática moderna, especialmente porque muitos jovens aderem a ela, o ato de marcar a própria pele com uma arte permanente é bastante antigo.

Todo o processo é realizado com agulhas, as quais introduzem sob a pele os pigmentos que formarão o desenho desejado. Por conta da técnica utilizada, a tatuagem traz alguns riscos de infecção tanto para o cliente como para o profissional que o está tatuando.

Para evitar tais riscos, é fundamental que o tatuador conheça e utilize equipamentos de proteção específicos. A seguir, você vai entender o que são os EPIs para profissionais de tatuagem e porque eles são tão importantes.

O que são EPIs?

EPI é a abreviação para Equipamento de Proteção Individual, que nada mais é do que uma peça ou dispositivo utilizado por um profissional durante a realização de suas atividades. A função dos EPIs é preservar a saúde e a segurança do indivíduo e minimizar os riscos que ele possa estar correndo.

Entre os profissionais que devem usar estes equipamentos estão: mecânicos, eletricistas, médicos, trabalhadores da construção civil, enfermeiros, açougueiros, soldadores, motoboys, carpinteiros, forneiros, marceneiros, operadores de empilhadeira e, claro, tatuadores.

Quais EPIs os profissionais de tatuagem devem usar?

Existe uma série de equipamentos de proteção individual que podem ser utilizados pelos profissionais de acordo com a atividade que exercem. Os mais comuns são: máscara, luvas, capacete, óculos de proteção, avental, protetores auriculares, botas, cinto de segurança e respiradores.

Para os tatuadores, os EPIs recomendados são a máscara, o avental, as luvas e os óculos de proteção. O ideal é que todos os equipamentos sejam descartáveis.

Por que é importante usar os EPIs no estúdio de tatuagem?

Afinal, qual é a importância de os tatuadores fazerem uso dos EPIs durante suas atividades? Para entender isso, imagine que a tatuagem é uma técnica de perfuração, o que significa que a pele do cliente fica exposta e com sangramentos durante o processo.

É aí que entram os equipamentos de proteção individual. Ao utilizá-los, o tatuador garante que não entrará em contato direto com o sangue e os fluidos corporais do cliente, os quais podem transmitir doenças como AIDS e hepatites B e C. Além disso, os EPIs diminuem os riscos de infecção do cliente.

Portanto, podemos dizer que os EPIs são verdadeiros aliados da saúde e proteção de quem tatua e de quem está sendo tatuado. Também são uma exigência da vigilância sanitária para que o estúdio de tatuagem possa permanecer em funcionamento.

Outros cuidados que os profissionais de tatuagem devem ter

A segurança e a proteção da saúde em um estúdio de tatuagem não dependem apenas do uso de EPIs pelos profissionais. Outros cuidados devem ser tomados para minimizar os riscos de infecções, como manter o ambiente limpo e organizado e lavar as mãos antes e depois de cada procedimento.

Também é importante que o tatuador conheça técnicas de antissepsia. Bancadas, macas e cadeiras devem passar por desinfecção entre cada cliente, um processo que elimina a maior parte dos microrganismos patogênicos. Além do mais, nunca se deve reutilizar agulhas e tintas ou utilizar materiais não esterilizados corretamente.

Assim como para os EPIs, a preferência é que os instrumentos de perfuração da pele sejam descartáveis ou muito bem esterilizados, de acordo com o Manual de Processamento de Artigos e Superfícies em Estabelecimentos de Saúde, do Ministério da Saúde. Isso porque oferecem riscos à saúde.

O descarte de materiais perfurocortantes e infectantes deve ser feito em locais específicos e nunca no lixo comum.

Receba mais notícias

Deixe seu email abaixo para ser incluído em nossa lista de comunicação.