Os riscos de usar uma tinta de tatuagem que não seja regulamentada pela ANVISA

tintas tatuagem
Share on facebook
Share on email
Share on whatsapp

Tatuagem é uma forma de arte que vem ganhando espaço na sociedade. Através dela, os indivíduos externam sua personalidade e afirmam sua individualidade.

Entretanto, ela é entendida como um procedimento cirúrgico de pequeno ou médio porte. Sendo assim, a sua realização é cercada por uma série de exigências de higiene. Com isso, pretende-se proteger a saúde da pessoa que está sendo tatuada e garantir que nenhum problema seja desenvolvido a partir do procedimento.

Um dos itens que exigem atenção e cuidado é a tinta utilizada pelos tatuadores. Ela deve ser regularizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Por que usar tintas aprovadas pela ANVISA?

As tintas que possuem o selo regulador da ANVISA passaram por uma série de testes e avaliações que garantem a sua segurança. São avaliados os ingredientes que fazem parte da formula da tinta e sua ação no corpo humano, além do processo de fabricação.

A ANVISA também fiscaliza se a empresa possui todos os alvarás e autorizações específicos para a produção desse tipo de tinta. Sendo assim, elas podem ser utilizadas em seres humanos sem oferecer riscos à saúde.

Entretanto, ainda é possível encontrar no mercado profissionais que não utilizam tintas para tatuagem registradas na ANVISA. Isso pode trazer uma série de riscos à saúde. Já que essas tintas contêm substâncias, que em dosagens incorretas, causam graves problemas ao corpo humano.

Infecções

As tintas não regulamentadas podem estar contaminadas com fungos e bactérias. Assim, quando entram na corrente sanguínea, favorecem o aparecimento de infecções.

Os processos infecciosos acontecem no local onde a tatuagem foi feita. A região fica vermelha, quente e dolorida.

Caso a infecção se agrave, o tecido atingido pode ser destruído e o tratamento demoraria meses.

Além disso, existe a possibilidade do processo infeccioso se espalhar pelo corpo, já que o agente contaminante pode entrar na corrente sanguínea.

Reações Alérgicas

Outro problema causado pelas tintas de tatuagem sem o registro da ANVISA são as reações alérgicas. Muitas dessas tintas possuem entre seus componentes ingredientes, como níquel, polímeros e derivados de petróleo. Substâncias, essas, que são tóxicas aos seres humanos.

Os sintomas da reação alérgica à tinta de tatuagem são variados. Podem ser erupções cutâneas, inchaço na região tatuada, dor, vermelhidão, entre outros. O tratamento consiste na utilização de pomadas e remédios antialérgicos. Entretanto, em casos mais graves, a pele da região tatuada precisa ser retirada cirurgicamente.

É importante lembrar que essas reações alérgicas podem acontecer anos depois da realização do processo de tatuagem.

Queimaduras durante exames

Algumas tintas encontradas no mercado, e que não possuem o selo da ANVISA, possuem na sua formulação altas concentrações de ferro, principalmente a cor preta.

Em um primeiro momento, essa pigmentação pode não causar nenhum problema ao corpo humano. Entretanto, são comuns as ocorrências de queimaduras durante a realização de ressonâncias magnéticas.

Acredita-se que as ondas eletromagnéticas do aparelho reajam com o ferro presente na tinta da tatuagem e cause queimaduras na pele.

Além de todos esses problemas, a utilização de tintas irregulares pode estar associada ao surgimento de alguns tipos de câncer, devido a toxicidade de alguns ingredientes. Entretanto, não existem estudos científicos capazes de corroborar essa suspeita.

Receba mais notícias

Deixe seu email abaixo para ser incluído em nossa lista de comunicação.