Qual é a importância de misturar os pigmentos da micropigmentação?

colorimetria
Share on facebook
Share on email
Share on whatsapp

Para as micropigmentadoras, misturar as cores é essencial. Quem nunca viu uma pessoa com uma sobrancelha com uma cor bem diferente do normal, como o azul, o verde ou vermelho?

Isso é comum em casos de micropigmentadoras que não fazem a mistura ideal dos pigmentos, de modo a encontrar o tom que combine perfeitamente com a pele das clientes.

Por isso, este artigo vai te mostrar a importância de misturar os pigmentos de maneira ideal. Vamos ver um pouco sobre colorimetria, além de entender como este conceito é aplicado na mistura dos pigmentos.

Entendendo um pouco de colorimetria

Qualquer micropigmentadora precisa entender, pelo menos, o básico de colorimetria. Esta é uma ciência que estuda a percepção de cores por parte dos seres humanos. Por isso, ele divide as cores entre primárias, secundárias, neutras, além das quentes e frias. Entre as cores quentes estão o vermelho, laranja e amarelo, e nas cores frias, estão o azul, o roxo e o verde.

Ao combinar as cores de mesmo “tipo”, é comum acontecer os tons de pele tão diferentes. Por exemplo, as pessoas de pele mais branca, tem uma característica de ter um tom mais avermelhado, por conta da sensibilidade ao sol. Estas são as pessoas com tom de pele “quente”, visto que se sobrepõem cores como o vermelho.

Já as pessoas de pele mais escura, como as negras e morenas, tem um tom de pele “frio”, em que se destaca mais o mais azulado ou arroxeado.

Então, se você usar um pigmento mais vermelho na sobrancelha de uma cliente que já tem a pele vermelha, é possível que esta cor fique muito forte, causando uma sensação estranha. O mesmo se aplica em clientes negros e a cor azul.

Misturar os pigmentos é a forma ideal de corrigir este problema. Assim, é possível neutralizar as cores opostas, obtendo um tom mais natural.

Como misturar os pigmentos de acordo com as cores?

Por exemplo, imagine que chega ao seu estúdio uma cliente com a pele muito avermelhada. Para o tom ficar mais natural, é recomendado um pigmento castanho claro, que mais se encaixa nos seus cabelos e na sua pele. Porém, se você usar o pigmento puro, é natural que a pele fique muito vermelha.

Então, você irá misturar os pigmentos com a cor oposta, de modo a neutralizar aquilo que você não quer. Logo, se você está aplicando um pigmento quente em uma pele quente, precisa neutralizar com uma cor fria. O mesmo se aplica em sentido oposto. Ao aplicar uma cor fria em uma pele fria, precisa equilibrar com uma mistura quente.

Em via de regra, para cada quatro gotas de pigmento que você decidir usar, adicione mais uma gota do pigmento de cor oposta. Assim, você obtém o resultado ideal, sem medo de errar.

Felizmente, o Brasil é um país com uma enorme diversidade. A população é bem dividida entre pessoas com origem indígena, europeia e africana, o que significa que é comum encontrar praticamente todos os tons de pele.

Por isso, é muito importante que a profissional de micropigmentação tenha o conhecimento de colorimetria, pelo menos o básico, para saber como misturar os pigmentos e neutralizar as cores de acordo com a pele de seu cliente, obtendo o resultado ideal.

Acesse nosso site e conheça nossos produtos.

Receba mais notícias

Deixe seu email abaixo para ser incluído em nossa lista de comunicação.